Olá, Visitante!

21 de Fevereiro de 2018

ARTISTA Caulos

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin



Luis Carlos Coutinho 1943, Araguari, MG

Biografia: Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1954. Por volta de 1967, trabalhando na Marinha Mercante, realizou seus primeiros desenhos de humor. No início dos anos 70 destacou-se como desenhista de humor do Jornal do Brasil e de O Pasquim, quando também colaborou com importantes publicações estrangeiras (Penthouse, The New York Times, Playboy etc.). Realizou várias exposições nessa época: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1973); Galeria Vernissage, Rio de Janeiro, e Galeria Arte Aplicada, São Paulo (1975); Galeria do Instituto de Arquitetos do Brasil, Porto Alegre (1976); Petite Galerie (1977) e Galeria Ipanema (1979), Rio de Janeiro. Voltou-se para a pintura no início dos anos 80, com exposições na Bolsa de Arte de Porto Alegre (1987) e na Galeria Bonino, Rio de Janeiro (1987, 1988 e 1992). Entre as mais recentes, merece destaque sua exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1998). Publicou, entre outros livros, Só dói quando eu respiro (1976), Errar é humano (1978) e A última flor amarela (1994). Capista profissional, realizou diversos trabalhos para a editora L&PM, de Porto Alegre, tais como A dama do Bar Nevada (1987), de Sergio Faraco; Perseguição e cerco a Juvêncio Gutierrez (1990), de Tabajara Ruas; Comédias da vida privada (1994) e Comédias da vida pública (1995), de Luís Fernando Veríssimo; Liberdade liberdade (1997), de Flávio Rangel e Millôr Fernandes, etc.

Referências:  Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand (JB, 1987), de Roberto Pontual; Caulos: pinturas (L&PM, 1998), texto de Wilson Coutinho.

ok