JOSÉ FERRAZ DE ALMEIDA JÚNIOR (1850, Itu, SP - 1899, Piracicaba, SP)

BIOGRAFIA:

Em 1869 transferiu-se para o Rio de Janeiro com a ajuda do padre Miguel Correa Pacheco, primeiro incentivador de sua carreira. Ajudado também por parentes e amigos, matriculou-se na Academia Imperial de Belas Artes, onde estudou com Jules Le Chevrel e Vítor Meireles. Na Academia conquistou três menções honrosas, quatro medalhas de prata e duas de ouro. De volta a Itu, montou ateliê e passou a lecionar desenho. Dom Pedro II, em viagem que fez a São Paulo (1875) para a inauguração da Estrada de Ferro Mogiana, entusiasmado com o retrato que o artista realizou do Comendador Antônio de Queiroz Teles, concedeu-lhe uma bolsa para estudos na Europa. Em 1876, Almeida Júnior matriculou-se na Escola de Belas Artes de Paris, onde freqüentou as aulas de Alexandre Cabanel. Obteve ali medalha de ouro. Ainda em Paris, participou do Salão dos Artistas Franceses (1880) e, depois de uma temporada em Roma, regressou ao Brasil. No Rio, expôs sua produção européia em individual de 1882 (Academia de Belas Artes). Sergio Milliet comentou a seu respeito: "Juntamente com Vítor Meireles, de quem foi discípulo, e muito mais que Pedro Américo, Almeida Júnior tem para a pintura nacional a importância de um marco divisório. Com ele se afirma a nossa liberdade artística e por ele conquistamos um lugar na história da arte contemporânea."

REFERÊNCIA:

A arte brasileira (Lombaerts, 1888, 2. ed. Mercado de Letras, 1995, introdução e notas de Tadeu Chiarelli) e Impressões de um amador: textos esparsos de crítica 1882-1909 (Fundação Casa de Rui Barbosa/UFMG, 2001, organização de Júlio Castañon Guimarães e Vera Lins), de Gonzaga Duque; Pintores e pinturas (Martins, 1940) e Pintura quase sempre (Globo, 1944), de Sergio Milliet; Primores da pintura no Brasil (1941), de Francisco Acquarone e A. de Queirós Vieira; Pequena história das artes plásticas no Brasil (Nacional, 1941), de Carlos Rubens; Artistas pintores no Brasil (São Paulo, 1942), de Teodoro Braga; História da pintura no Brasil (Leia, 1944), de José Maria dos Reis Júnior; A cultura brasileira (3.ª ed. Melhoramentos, v. 2, 1958), de Fernando de Azevedo; Almeida Júnior: vida e obra (Art, 1979); História geral da arte no Brasil (Instituto Walther Moreira Salles/Fundação Djalma Guimarães, 1983), coordenação de Walter Zanini; 100 obras Itaú (MASP, 1985); 150 anos de pintura no Brasil: 1820/1970 (Ilustrado pela coleção Sergio Fadel, Colorama, 1989), de Donato Mello Júnior, Ferreira Gullar e outros; Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro: 1816-1994 (Topbooks, 1995), de Frederico Morais; Arte na América Latina (Cosac & Naify, 1997), de Dawn Ades.    

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin