ANGELO DE AQUINO (1945, Belo Horizonte, MG. - 2007, Rio de Janeiro, RJ.)

foto do artista

Texto: Arquivo Eduarda de Aquino/Luis Garrido

BIOGRAFIA:

Pintor autodidata. Trabalhou inicialmente sob influência da pop art norte-americana, tendendo logo depois ao abstracionismo geométrico. A partir de 1971, fez constantes viagens à Europa, passando então a participar de mostras coletivas de vanguarda em países como Alemanha, Itália, França, Inglaterra e Estados Unidos. Mais tarde aprofundou outras linguagens como o desenho, o vídeo-arte e a fotografia, já nos limites da arte conceitual. Realizou várias individuais no Rio de Janeiro e em São Paulo, expondo também em Belo Horizonte e Salvador. No exterior, expôs em Buenos Aires, Milão e Paris. Desde os anos 60, marcou presença em salões nacionais e em diversas coletivas, todas ligadas ao que se convencionou chamar de Nova Figuração. Em 1995, integrou a mostra Opinião 65, 30 Anos, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro.

REFERÊNCIA:

História geral da arte no Brasil (Instituto Walther Moreira Salles/Fundação Djalma Guimarães, 1983), coordenação de Walter Zanini; Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand (JB, 1987), de Roberto Pontual; Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro: 1816-1994 (Topbooks, 1995), de Frederico Morais; Vida Rex: Angelo de Aquino (1997), texto de Wilson Coutinho; Anos 60: transformações da arte no Brasil (Campos Gerais, 1998), de Paulo Sergio Duarte.  

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin