GLÊNIO ALVES BRANCO BIANCHETTI (1928, Bagé, RS )

BIOGRAFIA:

Em Bagé, estudou com José Moraes, de passagem pela cidade. Seguiu em 1947 para Porto Alegre, onde cursou o Instituto de Belas Artes e estudou gravura em metal com Iberê Camargo. Juntamente com Carlos Scliar, Danúbio Gonçalves e Glauco Rodrigues, fundou o Clube de Gravura de Porto Alegre, em 1950. Transferiu-se em 1961 para Brasília, onde passou a exercer o magistério de arte e dirigiu o Ateliê de Pintura da UnB. Realizou diversas individuais no Rio de Janeiro, em São Paulo (Museu de Arte Moderna), Porto Alegre, Brasília, Salvador, etc. Em 1996, expôs na Galeria Casa Grande, em Goiânia (GO). Em 1985, participou da Bienal de São Paulo: Expressionismo no Brasil: Heranças e Afinidades. Em 1997, o Conjunto Cultural da Caixa Econômica Federal montou, no Rio de Janeiro, a exposição Grupo de Bagé no Clube da Gravura.

REFERÊNCIA:

A gravura no Rio Grande do Sul 1900-1980 (Mercado Aberto, 1982), de Carlos Scarinci; Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand (JB, 1987), de Roberto Pontual; Gravura: arte brasileira do século XX (Itaú Cultural/Cosac & Naify, 2000), de Leon Kossovitch, Mayra Laudanna e Ricardo Resende. Renato Rosa e Decio Presser. Dicionário de Artes Plásticas no Rio Grande do Sul, Editora da Universidade, 1ª ed. 1997, 2ª ed. 2000.  

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin