HENRIQUE BERNARDELLI (1858, Valparaíso, Chile - 1936, Rio de Janeiro, RJ)

BIOGRAFIA:

De uma família italiana itinerante, chegou ao Brasil ainda menino, tendo residido inicialmente em Porto Alegre (RS). No Rio de Janeiro, juntamente com o irmão, o escultor Rodolfo Bernardelli, matriculou-se, em 1870, na Academia Imperial de Belas Artes, onde foi aluno de Zeferino da Costa, Agostinho José da Mota e Vitor Meireles. Por volta de 1878 viajou para Roma, passando a freqüentar ateliês como o de Domenico Morelli (1826-1901). Voltou ao Brasil em 1886, realizando então sua primeira exposição individual. Foi professor de pintura da Academia a partir de 1890, e dedicou-se também ao magistério particular. De 1884 a 1935, participou diversas vezes do Salão Nacional de Belas Artes, com medalha de ouro em 1900 e medalha de honra em 1916. Em 1976, a Pinacoteca do Estado de São Paulo montou uma exposição de desenhos do artista. Dez anos depois, o Museu Nacional de Belas Artes inaugurou uma exposição retrospectiva do artista.

REFERÊNCIA:

A arte brasileira (Lombaerts, 1888, 2. ed. Mercado de Letras, 1995, introdução e notas de Tadeu Chiarelli) e Impressões de um amador: textos esparsos de crítica 1882-1909 (Fundação Casa de Rui Barbosa/UFMG, 2001, organização de Júlio Castañon Guimarães e Vera Lins), de Gonzaga Duque; A inquietação das abelhas (Pimenta de Mello, 1927), de Angyone Costa; História da pintura no Brasil (Leia, 1944), de José Maria dos Reis Júnior; Subsídios para a história da Academia Imperial e da Escola Nacional de Belas Artes (Universidade do Brasil, 1954), de Alfredo Galvão; A cultura brasileira (3.ª ed. Melhoramentos, v. 2, 1958), de Fernando de Azevedo; Artes plásticas no Rio Grande do Sul (Globo, 1971), de Athos Damasceno; O Brasil por seus artistas (MEC, 1979), de Walmir Ayala; História geral da arte no Brasil (Instituto Walther Moreira Salles/Fundação Djalma Guimarães, 1983), coordenação de Walter Zanini; 150 anos de pintura no Brasil: 1820/1970 (Ilustrado pela coleção Sergio Fadel, Colorama, 1989), de Donato Mello Júnior, Ferreira Gullar e outros; Iconografia e paisagem: Coleção Cultura Inglesa (Pinakotheke, 1994), Carlos Roberto Maciel Levy e outros; Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro: 1816-1994 (Topbooks, 1995), de Frederico Morais.  

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin