JOSÉ ROBERTO AGUILAR (1941, São Paulo, SP )

BIOGRAFIA:

Artista autodidata, abandonou nos primeiros meses o curso de Economia na Faculdade de Economia e Administração da USP. Dedicou-se quase que simultaneamente à gravura, pintura, música e literatura. Em 1956 integrou o núcleo fundador do movimento performático-literário Kaos, ao lado de Jorge Mautner e José Agripino de Paula. Residiu posteriormente em Nova York e Londres. Realizou exposições individuais em São Paulo – Galeria São Luiz (1964), Galeria Seta (1966), Galeria Art-Art (1968), Instituto de Arquitetos do Brasil (1970), Galeria Ralph Camargo (1973), Museu de Arte de São Paulo (1976, 1991), Galeria Arte Aplicada (1978), Galeria Paulo Figueiredo (1980, 1981, 1983), Galeria São Paulo (1984, 1993), Subdistrito (1989), Centro Cultural FIESP (2007) – no Rio de Janeiro – Petite Galerie (1969, 1974) Galeria Graffiti (1976), Galeria Arte-Espaço (1984), Galeria Montesanti (1986, 1987) – e no exterior – Ikon Gallery, Birminghan (Inglaterra, 1971), Pinacoteca de Brera, Milão (Itália, 1980), Inge Baecker Gallery, Colonia (Alemanha, 1985), Galerie Rudolph Schoen, Berlim (Alemanha, 1990) etc. Participou da Bienal de São Paulo (1963, 1965, 1967, 1969 e 1979, como convidado especial), do Salão Paulista de Arte Moderna (1964, 1965, 1966, 1967, com grande medalha de prata em 1965), da Bienal de Paris (1965), e da mostra Opinião 65, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro (1965) etc. De 1995 a 2002, dirigiu o espaço cultural Casa das Rosas, em São Paulo.  

REFERÊNCIA:

Arte como medida (Perspectiva, 1982), de Sheila Leirner; Anos 60: transformações da arte no Brasil (Campos Gerais, 1998), de Paulo Sergio Duarte.

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin