ACHILLINA BO BARDI (1914, Roma, Itália - 1992, São Paulo, SP)

BIOGRAFIA:

Arquiteta, designer, cenógrafa, editora, curadora e ilustradora. Estudou Desenho no Liceu Artístico, em Roma, sua cidade natal, formando-se em 1940, em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Roma. Transfere-se para Milão, onde trabalha com o famoso arquiteto Gió Ponti, diretor das Trienais de Milão e da revista Domus. Logo, Lina passa a dirigir a revista Domus e integra a resistência à ocupação alemã durante a Segunda Guerra, colaborando com o Partido Comunista Italiano - PCI. Ao lado do crítico Bruno Zevi, funda em Milão a revista A Cultura della Vita. Em 1946, casa-se com o crítico e historiador de arte Pietro Maria Bardi. Ambos decidem partir para o Brasil onde resolvem fixar-se. Quando Pietro Maria Bardi é convidado por Assis Chateaubriand para fundar e dirigir o Museu de Arte de São Paulo, Masp, Lina Bo bardi projeta as instalações do museu, em que se destaca a cadeira dobrável de madeira e couro para o auditório, considerada "a primeira cadeira moderna do Brasil". Em 1948, funda com o arquiteto italiano Giancarlo Palanti o Studio d'Arte Palma, voltado à produção de móveis de madeira compensada e materiais "brasileiros populares", como a chita e o couro. Cria em 1950, a revista Habitat, que dura até 1954. Projeta em 1951, no bairro do Morumbi, SP, a residência do casal, logo apelidada de "casa de vidro". inicia em 1957 o projeto para a nova sede do Masp, na avenida Paulista, com praça-belvedere aberta no  térreo, suspendendo o edifício com um vão de 70 metros. Em 1958, transfere-se para Salvador, para dirigir o Museu de Arte da Moderna da Bahia - MAM/BA, lá realizando o projeto de restauro do Solar do Unhão; nesse período trava contato com Pierre Verger e Glauber Rocha. Retornando a São Paulo, cria os suportes museográficos feitos de tábuas de pinho de segunda e realiza a exposição "A Mão do Povo Brasileiro", 1969;  realiza a adaptação do edifício do Sesc Pompéia, 1977, uma antiga fábrica e também assina o projeto do Teatro Oficina.  

REFERÊNCIA:

Pietro Maria Bardi. Profile of teh New Brazilian Art, Livraria Kosmos Editora, 1970; Pietro Maria Bardi. História da Arte Brasileira, Companhia  Meloramentos de São Paulo, 1975; Arte no Brasil, Abril Cultural, vol. 2, 1979; Cat. O Design no Brasil, História e Realidade; MASP Assis Chateaubriand, Edição Raízes Artes Gráficas Ltda, 1982; Jacqueline Barnitz. Twentieth-Century Art Of Latin America, cat. University of Texas Press, 2001. www.itaucultural.org.br

Texto: Bolsa de Arte/Renato Rosa