LOIO-PÉRSIO NAVARRO VIEIRA DE MAGALHÃES (1927, Tapiratiba, SP - 2004, Rio de Janeiro, RJ)

BIOGRAFIA:

Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal do Paraná (1953). Viveu em Minas Gerais, em São Paulo e no Paraná, época em que freqüentou o ateliê de Guido Viaro, em Curitiba. Em 1949, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Estudou cenografia com Santa Rosa, no Serviço Nacional de Teatro, e em 1952 integrou o grupo fundador do Centro de Gravura do Paraná. Fez viagens à Espanha e à França em 1964, e em 1976 a Paris, Roma e Londres. Em 1965, trabalhou na Escola Superior de Arte de Stuttgart, Alemanha. Dez anos depois foi pintor residente na Fundação Karoly, Vence, França. Participou do Salão Paranaense de Belas Artes (1953, 1956 e 1957, com medalha de prata em 1953), do Salão Nacional de Arte Moderna (com isenção de júri em 1959, prêmio de viagem à Europa em 1963 e prêmio de viagem ao país em 1966), do Salão Paulista de Belas Artes (medalha de prata em 1959), da Bienal de São Paulo (1959 e 1989), da Bienal de Veneza (1960), da Bienal Interamericana do México (medalha de ouro em 1960) e da Bienal de Paris (1961). Realizou numerosas exposições, entre as quais podem ser citadas: Galeria Anna Maria Niemeyer (Rio, 1980, 1986 e 2001), Centro Cultural Banco do Brasil (Rio, 1992), Museu de Arte do Paraná, retrospectiva (Curitiba, 1996) e Museu Nacional de Belas Artes (Rio, 2001).  

REFERÊNCIA:

Profile of the new brazilian art (Kosmos, 1970), de P. M. Bardi; História geral da arte no Brasil (Instituto Walther Moreira Salles/Fundação Djalma Guimarães, 1983), coordenação de Walter Zanini; Seis décadas de arte moderna na coleção Roberto Marinho (Pinakotheke, 1985); Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand (JB, 1987), de Roberto Pontual; Abstracionismo geométrico e informal: a vanguarda brasileira nos anos cinqüenta (Funarte, 1987), de Fernando Cocchiarale e Anna Bella Geiger; 50 anos do Salão Paranaense de Belas Artes (Secretaria do Estado da Cultura/Museu de Arte Contemporânea do Paraná, 1995), de Maria José Justino; Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro: 1816-1994 (Topbooks, 1995), de Frederico Morais; A arte de Loio-Pérsio (Museu de Arte do Paraná/Cronos, 1999), textos de Vera Regina Vianna Baptista e Agnaldo Farias; Notícias do Paraná: sobre arte paranaense (Imprensa Oficial do Paraná, 2002), de Walmir Ayala.

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin