FRANCISCO GONZALES REBOLO (1902, São Paulo, SP - 1980, São Paulo, SP)

BIOGRAFIA:

Em 1915 trabalhou como aprendiz de decorador. Foi jogador de futebol do Corínthians na época em que o clube conquistou o título de Campeão do Centenário, em 1922. A partir de 1934, depois de trabalhar como decorador, decidiu-se pela pintura e em seu ateliê no Edifício Santa Helena, na Praça da Sé, formou um grupo de pintores que mais tarde seria chamado por Mário de Andrade de O Grupo Santa Helena. Integrou também as exposições da Família Artística Paulista, criada em 1937. Participou da Bienal de São Paulo (1951 e 1953) e obteve pequena medalha de ouro no Salão Paulista de Belas Artes (1936). Em 1954 conquistou o prêmio de viagem à Europa no Salão Nacional de Belas Artes. O Museu de Arte Moderna de São Paulo inaugurou uma retrospectiva de sua obra em 1973. Em 1996, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, sua obra integrou a exposição O Grupo Santa Helena. Entre as exposições póstumas mais importantes do artista, merecem destaque: 1985, Museu Lasar Segall, São Paulo; 2002, Museu de Arte Moderna de São Paulo, comemorativa do seu centenário. A respeito de Rebolo escreveu Mario Schenberg: "Devemos a Rebolo uma variedade impressionante de apreensões artísticas do tempo-vida, nas suas paisagens, naturezas-mortas e nos seus retratos e figuras humanas."  

REFERÊNCIA:

Pintores e pinturas (Martins, 1940) e Pintura quase sempre (Globo, 1944), de Sergio Milliet; Artistas pintores no Brasil (São Paulo, 1942), de Teodoro Braga; História geral da arte no Brasil (Instituto Walther Moreira Salles/Fundação Djalma Guimarães, 1983), coordenação de Walter Zanini; Rebolo (MWM, 1986), de Elza M. Ajzenberg e outros; A arte no Brasil nas décadas de 1930-40: o Grupo Santa Helena (Nobel/Edusp, 1991), de Walter Zanini; O olho da consciência: juízos críticos e obras desajuizadas (Edusp, 2000), de Arnaldo Pedroso d'Horta, organização de Vera d'Horta; O olhar amoroso (Momesso, 2002), de Olívio Tavares de Araújo; Gravura em metal (Edusp/Imprensa Oficial SP, 2002), organização de Marco Buti e Anna Letycia; Rebolo 100 anos (Edusp/Imprensa Oficial de São Paulo, 2002), coordenação de Antonio Gonçalves e Lisbeth Rebollo Gonçalves.

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin