DARIO VILARES BARBOSA (1880, Campinas, SP - 1952, Paris, França)

BIOGRAFIA:

Irmão gêmeo do pintor (e companheiro de trabalho e viagens) Mário Villares Barbosa, morto em 1917. Em São Paulo, foi aluno de Oscar Pereira da Silva (desenho e pintura). Com a ajuda do pai e posteriormente com uma pensão do Governo do Estado, permaneceu em Paris de 1901 a 1934, com eventuais viagens por Espanha, Portugal, Itália e Brasil. Na capital francesa, estudou na Academia Julian e na Escola de Belas Artes, marcando presença no Salão dos Artistas Franceses a partir de 1907. Estendeu suas viagens aos países do Oriente e ao Marrocos. Apesar da longa vivência européia, esteve sempre ligado ao movimento artístico brasileiro: realizou individuais no Rio de Janeiro (1911 e 1936) e em São Paulo (1916, 1928, 1934, 1935 e 1936); participou do Salão Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro, 1910) e do Salão Paulista de Belas Artes (premiado com a grande medalha de ouro em 1943 e primeiro prêmio Prefeitura de São Paulo em 1945). Sua obra integra os acervos do Palácio do Governo e da Pinacoteca do Estado, em São Paulo, e do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.

REFERÊNCIA:

Artistas pintores no Brasil (São Paulo, 1942), de Teodoro Braga; História da pintura no Brasil (Leia, 1944), de José Maria dos Reis Júnior; O Brasil por seus artistas (MEC, 1979), de Walmir Ayala; Pintores paisagistas: São Paulo - 1890 a 1920 (Edusp/Imprensa Oficial, 2002), de Ruth Sprung Tarasantchi.  

Texto: Bolsa de Arte/André Seffrin